Archive for the burn baby burn Category

Ano novo, vida nova?

Posted in burn baby burn, o mundo (essa folia) on 2 de janeiro de 2009 by mari messias

gaza_by_latuff

Carlos Latuff

Ah, o futuro

Posted in burn baby burn, quotes da rapeize on 29 de dezembro de 2008 by mari messias

Eduardo diz:
2009 vai ser BEEEEM MELHOR
Eduardo diz:
do que 2010
mari diz:
2009 vai ser bem melhor que 2012
mari diz:
DIZEM

Fock!

Posted in burn baby burn, deveras pessoais, maconha, o mundo (essa folia) on 12 de setembro de 2008 by mari messias

Creizi pipol, eu sei que deveria ter outro assunto mas convenhamos que fica difícil. E, devemos concordar, vocês achariam meus outros assuntos do momento um porre. Tendo em vista a monomania quase qorpo-santina criei categoria chamada: BOOM. Não, não é de boom shakalaka.

De toda forma, os gregos pensaram: fui eu que fiz, porra. E num lapso de Zeus hackearam a bagulha do LHC. Como eu não sou mãe de mané, fiquem com o link e leiam vocês (via Moj).

Além disso, devo admitir, estou na outra polaridade. Tem alguns dias que só me dedico a olhar para o vago e ler. Quase inferno astral. Quase, quase. Para provar que não estou tão mal, estou cá com Medéia do Lars Von Sofrido e sequer toquei, ainda. É o combo do amargor. Para provar que não estou tão bem, não assisti nada em casa desde o Darjeeling. Sequer seriados. Minto, assisti um documentário sobre mundos subterrâneos no History Channel. History Channel, minh’alma te pertence. Hshshshs.

*espaço reservado para comentário anarquista sobre tv*

LHC

Posted in burn baby burn, maconha, quotes da rapeize on 10 de setembro de 2008 by mari messias

fabi diz:
hadhahdhadhahd. eu sei que ainda vamos ver os resultados dessa experiencia. só vai nos matar aos pouco
mari diz:
vou fazer uma camiseta: SÓ A FABRE SACA A VERDADE
fabi diz:
hashahsha, certo que todos os dias, tudo o que acontecer de bizarro vai ser culpa do lhc
mari diz:
certo
fabi diz:
esse SPORE foi lançado pras pessoas se acostumarem com as criaturas que vão nascer
fabi diz:
menino com 2 pênis =lhc. gato com 5 cabeças = lhc
fabi diz:
lhc é a nova genética
mari diz:
fora que lhc é quase maconha
fabi diz:
sim, sim. ontem pensei muito nisso
fabi diz:
e na tv falavam de ecstasy, tão tri porfora
mari diz:
certo, lhc é o novo ecstasy, tb

Vivemos, mas quem garante?

Posted in burn baby burn, nadavê véiô, quotes da rapeize on 10 de setembro de 2008 by mari messias

Pedro sugere a queda do MSN como a primeira das novas pragas do Egito, eu assino embaixo. Cherry fala sobre a volta do Alice in Chains afirmando que só envelhecemos pra ver nossos ídolos fazendo papel de palhaços, coisa que os fãs de Rolling Stones já sabiam. Seria a manuELA a segunda praga? Anderson lembra que se Fogaça não se eleger talvez volte a fazer música, o que é inquestionavelmente uma praga. E nem vou comentar o mais óbvio desta eleição, que piada pronta não tem graça. O i era usado em diversos poemas medievais para completar a sonoridade, formato exigido, coisital. E ainda temos o Stabler contra o crime. Grandes são os infortúnios do ano eleitoral, é proveitoso atravessar a grande água sem olhar para trás.

Ouvi no rádio voltando do teatro que rolou tufão. Um grande tufo deve, sem sombra de dúvidas, ser visto como a prova cabal. Hshshshs.

cobiço (já sei, Moj, se disser de novo morre)

Burn, baby, burn

Posted in burn baby burn, maconha, o mundo (essa folia) on 9 de setembro de 2008 by mari messias

Heya pipol, como estão?

Bom, eu acho que não é novidade que eu totalmente acredito em catástrofes e fim do mundo, BOOM BOOM. Tanto é que, em 2000 1999 (segundo relatos alheios), quando anunciaram o fim do mundo pra Agosto, acho, me bateu um desespero tão grande de BURN, BABY, BURN que meu pai resolveu fazer um convescote que ele nomeou e ficou universalmente conhecido como CHURRASCO BOLAS DE FOGO.

Pois bem, reunidos os amigos e o vinho (com ansiolíticos, claro) e a carne e os Messias, eramos quase que uma afronta ao não fim do mundo. Em especial Marx. Mas eu, naquela época, namorava Quevedo e ele estava no Monte Sinai, ou algo assim, e isso realmente me abatia, íamos morrer separados. Como Quevedo era bastante racional (de Tim Maia), ele ligou naquele dia no horário planejado pro fim do mundo, fuso brasileiro, e disse: Aqui não acabou. Mas, de fé Vos digo, todo fim do mundo acaba um pouco comigo. Uh, poesia. Hshshshs.

Então, uma coisa aprendi com esta experiência. Duas, em verdade: se tu for famoso nem deve assumir publicamente que teme o fim do mundo pq isso é coisa de maluco e depois ninguém mais quer tuas roupas e a outra é que devemos ter desejos de fim do mundo que só digam respeito a nós mesmos.

Quando li esta coisa que eu nem consigo entender direito pq fiz supletivo pensei: BURN, BABY, BURN 2.0. Estes Suíços (justo eles, porra) vão colocar em funcionamento um acelerador de partículas que, se der errado, pode nos sugar prum buraco negro (non Frusciante style). Amanhã. Issae. Dia déish.

Por isso hoje acordei cedo e resolvi fazer uma coisa que devia ter feito duas semanas atrás, agora com o intuito de morrer com unhas lindas. Amanhã pretendo trabalhar bêbeda (ei, não me difame no ambiente de trabalho), coisa que muito me diverte mas eu só tive oportunidade de fazer duas vezes. Se nada tiver acontecido, aí sim, irei ao teatro numa peça com textos da Hilst. Pra quem quiser planejar sua sucção, a Suíça tem cinco horas mais que a terrinha, de fuso.

Nos vemos no além. Ou, como dirão os céticos, nos vemos aqui dia 11.

P.S: EU OS AMO, SEUS MALAS.

P.S. 2: Os embusteiros de 2012 se manifestam aqui.