A clássica retrospectiva

2011 não foi uma festa, definitivamente. Foi um ano bem complicado.

Contrapondo, uma das primeiras lembranças que tenho do ano é massa demais, uma legítima festa. E a última, espero, seja similar.

Até agora, 2011, pra mim, é Mayer Hawthorne e poucos mas bons amigos (os teimosos e eternos). Em 3 canções (e motivos e sentimentos relacionados bem amplos), meu ano:

Feliz 2012, o ano que os Maias farão contato e os deuses serão astronautas. Desejo que os desejos de vocês nunca os decepcionem, que vocês não sintam frio dor ou fome e que nunca cultuem a idéia de que poderia ter sido melhor/diferente (remember Pangloss, o do cabeçalho).

É isso, nos vemos nas quebradas.

Anúncios

2 Respostas to “A clássica retrospectiva”

  1. melhores votos de ano novo: “Desejo que os desejos de vocês nunca os decepcionem, que vocês não sintam frio dor ou fome e que nunca cultuem a idéia de que poderia ter sido melhor/diferente”. orgulho da família!! bj. f.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: