Dia do orgulho Friki

voltei a colecionar Stalins

voltei a colecionar Stalins

Criado em 2006, como referência a premiere do Star Wars (em 1977) o dia do orgulho nerd serve de lembrança pro pessoalzinho que quem tem orgulho não sintegra.

Ultimamente as pessoas pararam de usar nerd, pq dizer nerd virou coisa de nerd. Agora o descolé é dizer geek. Mas geek também ta virando coisa de nerd, então antevejo que passarão e dizer, sei lá, friki. Eu acho que tanto faz, a idéia é a mesma, no fundo. Pessoas que sentem prazer, PRAZER SINCERO, por conhecimento aprofundado no que for. Isso pode ser esclarecido na lista de direitos e responsabilidades ao final da post, vide item 6 das responsabilidades. Prazer não associado, necessariamente, com morenas, status social e dinheiro.

Acontece que o mundo precisa de pessoas inteligentes. Não num sentido afetivo. Precisa mesmo, para girar financeira, tecnológica, tudomaismente.

E, com o tempo, entre os nerds que foram dominando o mundo, estavam alguns que não tinham vergonha de quem eram. Tinham orgulho. Por qual motivo alguém teria orgulho disso? Ora, porra, só deixamos de ter orgulho pelos outros, quando queremos nos encaixar em ideais alheis. Ideais alheis são como roupa um tamanho menor: não ficam bem em você, acredite em mim.

Então bora comemorar.

(eu ando tão louca que esqueci que tinha separado links em abas pra colocar aqui hoje, então, reformulando)

Aqui tem um texto legal, de 2005, sobre como ser nerd virou uma uhuducaraivéinho

There was a time–yes, my children, the legends are true–when J.R.R. Tolkien was not cool. Really. Very much not cool. Also video games, and Spider-Man, and the X-Men.

(sério, quando conheci Mojo Tolkien nem era cool. hshshsh)

Aqui tem um estudo pra rapaziadinha se vangloriar que diz que quem trabalha na área de TI é mais nerdy, sexualmente falando, na Inglaterra.

Aqui tem um texto falando da faculdade conhecida como Geek Heaven, onde ninguém pega ninguém, e como eles querem mudar esse quadro.

Rights:

  1. The right to be even nerdier.
  2. The right to not leave your house.
  3. The right to not have a significant other and to be a virgin.
  4. The right to not like football or any other sport.
  5. The right to associate with other nerds.
  6. The right to have few friends (or none at all).
  7. The right to have all the nerdy friends that you want.
  8. The right to wear witty t-shirts
  9. The right to not be “in-style.”
  10. The right to be overweight and have poor eyesight.
  11. The right to show off your nerdiness.
  12. The right to make an attempt at being as nerdy as Morgana Summers, and the right to fail. (Topher Stumph came quite close, but he too, failed).
  13. The right to develop serious crushes on Randall Munroe, Shane Carruth & Bo Burnam, as opposed to say… James Franco. (See 11).
  14. The right to carry a Thesaurus with you at all times, as opposed to an iPhone. (See 11)
  15. The right to execute shameless self advertisement via the Wikipedia Geek Pride Day page. (See 11).
  16. The right to falsely assume the surnames Finkleton, Waldman, Stratzer and Krukemeyer.
  17. The right to take over the world.

Responsibilities:

  1. Be a nerd, no matter what.
  2. Try and be nerdier than anyone else.
  3. If there is a discussion about something nerdy, you must give your opinion.
  4. Save any and all nerdy things you have.
  5. Do everything you can to show off your nerdy stuff as though it were a “museum of nerdiness.”
  6. Don’t be a generalized nerd. You must specialize in something.
  7. Attend every nerdy movie on opening night and buy every nerdy book before anyone else.
  8. Wait in line on every opening night. If you can go in costume or at least with a related t-shirt, all the better.
  9. Don’t waste your time on anything not related to nerddom.
  10. Befriend any person or persons bearing any physical similarities to comic book or sci-fi figures.
  11. Try to take over the world!


(brigada ao June pelo link GENIAL)

Anúncios

6 Respostas to “Dia do orgulho Friki”

  1. E quando tu me conheceu já faziam ONZE ANOS que eu tinha REQUERIDO INGRESSO na Tolkien Society.

    E a gente se conheceu há onze anos.

    OMG MAGIA

  2. (Por sinal, ABOMINO essa tentativa de segregar o termo “nerd”. É TUDO NERD. GEEK SÃO OS PENTELHO DO MEU CU, PORRA. O único termo SEGREGÁVEL é “dork”, porque nem todo nerd é dork. Mas o resto é tudo nerd e ponto final. Se tem vergonha de se ASSUMIR, então não é nerd. Nem geek. É só CUZÃO, mesmo).

  3. SIM
    e cuzão tem que ser segregado MESMO
    eu acho que geek é muito eu uso mac e compro óculos por estilo pros meus 0,25 num olho
    haahahahahahaha

  4. “I miss a little of that element. The danger of, Oh, I’m holding this science-fiction magazine.”

  5. […] quis vir, como boa nerd desde antes de ser uma coisa boa ser nerd. É como aquele texto que postei aí: There was a time–yes, my children, the legends are true–when J.R.R. Tolkien was not cool. […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: