VICKYCRISTINABARCELONA

Por que é que fodemos o amor? Porque não resistimos é do mal que nos faz. Parece estar mesmo a pedir. De resto, ninguém suporta viver um amor que não esteja pelo menos parcialmente fodido. Tem de haver escombros. Tem de haver esperança. Tem de haver progresso para pior e desejo de regresso a um tempo mais feliz. Um amor só um bocado fodido pode ser a coisa mais bonita deste mundo.

Miguel Esteves Cardoso


Bom, bom. Esse filme, que gera atrito nas rodas de amigos, me cativou deveras. Deveras mesmo. Coisa bizarra demais por vários motivos. Primeiro por ser do velho Allen. A sífilis parece ter ido para a cabeça, já que ele finalmente fez algo que realmente gostei. Segundo porque é sobre amor doente, coisa que desgasta nos primeiros 15 segundos.

Mas vamos aos meus fatos.

Eu acho que esse filme é, possivelmente, a única verdadeira comédia romântica que eu já vi.

Ele tem uns bons 5 personagens marcantes que, sim, sempre são estereotipos mas sem que isso queira dizer que o filme perde em profundidade ou qualquer coisa que o valha.

Diferente das comédias românticas onde Meg Ryan tenta nos enfiar na cabeça que amor é uma coisa pastosa e sem muito carisma, mas que dura pra sempre, não acaba com os créditos, nesse filme as coisas cumprem seus ciclos e os personagens seguem suas rotas eternas de amor-desamor-amor.

E o filme tem a subjetividade cada vez maior dos americanos que finalmente notam que cinema pode ser um pouco poesia e que cada pessoa pode fazer sua interpretação do que isso gerou ali, praqueles personagens, naquele momento.

E por mais que meus amigos fiquem se debatendo contrariamente: NÃO, ISSO NÃO. Sabemos que uma obra é feita da forma como é absorvida, mesmo que isso nos desagrade e afete nosso TOC. E se ela deixa espaço pra tantas maneiras de digestão, lindo, intencional ou não, isso a constitui.

E, como eu vejo, todos ali são tocados, alterados e maculados pelo amor. Talvez o personagem mais fodido, mais estático, seja o mais cativante a princípio. E eu sinto um certo aperto no peito por ele, coisa que acontece quando gostamos muito das coisas e elas passam a ser mais que coisas. Mas cest la vie (des choses).

*fim de um comentário confuso e hermético*

BTW: eu decidi que queria ver o filme por conta do cartaz, que coloco abaixo e achei lindíssimo

vickycristinabarcelonag

Anúncios

3 Respostas to “VICKYCRISTINABARCELONA”

  1. a morena é mais
    é praticamente braile pra MORRO POR VÓS MEA SÑOR

  2. tambem curti deveras o cartaz.
    tambem adoro mulher gostosa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: