A sociedade e as micro estruturas

(depois de Onde Está Wally?, Onde está D. Sebastião? – copyright Marx)

Aos 16 anos eu tirei o título de eleitor. Hoje, aos 29 anos, eu voto nulo tem algumas eleições. Aconteceu, no meio do caminho, alguma coisa que me fez deixar de acreditar que era possível mudar radicalmente pra melhor a estrutura geral. Nem foi só a dissolução da esquerda, a catarse coletiva de que os valores são os mesmos pros dois lados (e antes que algum direitista comece a se gabar: estamos todos na mesma merda, mas continua sendo uma merda e eu nem tou pela coprofagia, ta ligado?). Teve algo dentro de mim que MUDOU TUDO quando me confrontei com o randomismo da vida aplicado a pessoinhas lindas.

Isso não quer dizer que eu seja uma pessoa amarga, que não acredite na possibilidade de beleza da vida e no potencial de docilidade humano e nas micro-mudanças que começam conosco (Think Locally, Fuck Globally). Isso é coisa de indie classe média alta que lê poesia inglesa e acha que ta inovando. Rapeize, tenho uma novidade procêis: Brasil, mais de 500 anos dando a bunda pra Inglaterra. Fim da novidade.

Seguindo. Como nós constituímos o grande grupo, não adianta dizer que somos diferentes, somos parte da merda e ajudamos a fazer do dia-a-dia um pedacinho de Saigon. Não quero implicar responsabilidade por não sermos perfeitos. Quero só dizer que tem muito mais gente por aí se achando demais que sendo demais. Claro, se achar demais rende mais prestígio que tentar ser, mas também me dá bem mais no saco.

A atrofia do superego é o motor da nossa sociedade. Sem ela ignoraríamos nomes como Mainardi, Sandy, Fidel, Lula, Bush, ad infinitum.

Acho que é por isso que nossa sociedade aceita tão bem os psicopatas, somos carentes de pessoas que acreditem em si até o ponto da cegueira. Gente que se vende como a terra brasilis das pessoas enquanto nós, desejosos de Messias, Sebastiacas mofados, compramos o que tiver na feira dos salvadores e dos maiorais em geral.

*ai, cansei*

Para um post mais esperançoso, procure Desi aqui.

9 Respostas to “A sociedade e as micro estruturas”

  1. TÁ SE ACHANDO A BUNDA QUE MATOU CAZUZA, HEIN

  2. melhor essa: GANHEI UM CAZUZA DE PESO
    hahahahahahaha

  3. (e a parte do direitista que se gaba, pensando em ti, moreno
    :~
    )

  4. mainardi é uma metralhadora giratória. ODEIO.
    Mas traduziu Calvino. Tem lá seu valor.

  5. Onde está D. Sebastião.

    SDFGHSAKLASSADFGHSAKLSAFASGHJKASLASDFGSHAKLSA

    MORRI

  6. opa! tá quase uma versão feminina do Luiz Carlos Prates

    :)

  7. seguinte
    acho que já falei isso de versar pela área dos OUTROS não?

    vamos se ligar, brunete

  8. a inveja é uma merda
    hahahahahaha
    beeeeeeeeeeeijo, saudade

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: