Centário do COL

Quando eu escrevi, uns posts atrás, que não sentia saudades de ser jovem pq foi um período de merda omiti que as coisas boas de ser jovem (fora as cartas do Mikael) eu não sinto saudades pq mantenho. Mantenho a meia dúzia de amigos que fiz naquela época e a que fiz aos dois anos juntos, costurados no forévis, tatuados no pulso (COM AMARELO).

Este dia 5, aniversário de ninguém menos que meu irmão amado, minha sócia amada e minha colega de trabalho amada, saiu COL edição mausoléu. Na festa revival do COL eu aprendi que as pessoas não melhoram pq ficam velhas, se eram idiotas ficam sendo idiotas velhos. E aprendi que quem arrasava, enfimetc.

Então, espero que vocês tenham recebido a edição e lido, capsulas de amor. Abaixo colo poema de Buk, que sempre achei versão beta do Henry Miller mas, traduzido pela minha ermãzinha que é versão definitiva de ermã (ela e a outra ermã, claro).

Regozijem, hereges. Regozije, especialmente, Marcel. Hahahahahah.

A ÍNDOLE DA MULTIDÃO

Há suficiente traição, ódio,

violência,

Absurdo no ser humano comum

Para abastecer qualquer exército a qualquer

momento.

E Os Melhores Assassinos São Aqueles

Que Pregam Contra o Assassinato.

E Os Melhores No Ódio São Aqueles

Que Pregam AMOR

E OS MELHORES NA GUERRA

-ENFIM- SÃO AQUELES QUE PREGAM

PAZ

Aqueles Que Pregam DEUS

PRECISAM de Deus

Aqueles Que Pregam Paz

Não Têm Paz.

AQUELES QUE PREGAM AMOR

NÃO TÊM AMOR

CUIDADO COM OS PREGADORES

Cuidado Com Os Conhecedores.

Cuidado

Com Aqueles

Que Estão SEMPRE

LENDO

LIVROS

Cuidado Com Aqueles Que Ou Destestam

A Pobreza Ou Orgulham-se Dela

CUIDADO Com Aqueles Rápidos Em Elogiar

Pois Eles Precisam de LOUVOR Em Retorno

CUIDADO Com Aqueles Que Rápidos Em Censurar:

Eles Temem O Que

Desconhecem

Cuidado Com Aqueles Que Procuram Constantemente

Multidões; Eles Não São Nada

Sozinhos

Cuidado

O Homem Vulgar

A Mulher Vulgar

CUIDADO Com O Amor Deles

Seu Amor É Vulgar, Busca

Vulgaridade

Mas Há Força Em Seu Ódio

Há Força Suficiente Em Seu

Ódio Para Matá-lo, Para Matar

Qualquer Um.

Não Esperando Solidão

Não Entendendo Solidão

Eles Tentarão Destruir

Qualquer Coisa

Que Difira

Deles Mesmos

Não Sendo Capazes

De Criar Arte

Eles Não

Entenderão A Arte

Considerarão Seu Fracasso

Como Criadores

Apenas Como Falha

Do Mundo

Não Sendo Capazes De Amar Plenamente

Eles ACREDITARÃO Que Seu Amor É

Incompleto

ENTÃO TE ODIARÃO

E Seu Ódio Será Perfeito

Como Um Diamante Brilhante

Como Uma Faca

Como Uma Montanha

COMO UM TIGRE

COMO Cicuta

Sua Mais Refinada

ARTE

c. bukowski cuspiu
c. averbuck traduziu

Anúncios

4 Respostas to “Centário do COL”

  1. esse poema é foda!

    e bah! não tenho mais 24 anos. vou precisar de esforço duplo para conseguir ler esse COL novo…

  2. respondo o que conversamos antes: todos estamos mais velhos, mas isso só quer dizer que passamos mais tempo que antes vivendo, o que é obvio.
    nenhuma faculdade inerente tem a velhice, YODA SHTYLE

  3. bah e eu nem recebi o col

  4. te mando por email no final do dia
    beeeijo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: