Maldoror Rindo

Why
Parte do fascínio causado pelo Coringa que anda por aí provém do mistério que o personagem encerra, principalmente quanto a sua origem obscura e as diferentes versões que ele mesmo espalha sobre o corte que lhe encanta a face.

Pois bem, desvendei o mistério, descobri a verdadeira origem da personagem e seu famigerado talho labial.

Neste sábado tempestuoso, retirei numa biblioteca a clássica edição brasileira, lançada pela editora Max Limonad nos anos 80, para os Cantos de Maldoror, escrito pelo tão misterioso quanto Conde de Lautréamont. Este livro – que apontam como uma das pedras fundamentais da modernidade – conta a história terrificante de um sujeito que é algo assim como a encarnação suprema do Mal sobre a Terra. Nada mais, nada menos.

Poucos livros causaram tanto impacto sobre as gerações que se seguiram quanto esse. De seu autor sabemos muito pouco, somente que nasceu em Montevideu, no ano de 1846, e fez seus estudos em Paris, onde morreu aos 24 anos de idade, no ano de 1870.

Mas o que interessa está logo na segunda página do livro, uma cena que transcrevo aqui:

“Vi, ao longo de toda a minha vida, sem excetuar um só, os homens de ombros estreitos praticarem atos estúpidos e numerosos, embrutecerem seus semelhantes, enfiarem o ouro dos outros em seus bolsos e perverterem as almas por todos os meios. Assim chamam eles o motivo de suas ações: glória. Vendo tais espetáculos, eu quis rir como os outros, mas isso, estranha imitação, era-me impossível. Peguei um canivete e, com a lâmina de gume afiado, rasguei minhas carnes no lugar onde se reúnem os lábios. Por um momento, acreditei ter alcançado meu objetivo. Examinei no espelho essa boca ferida por minha própria vontade. Havia sido um erro! O sangue jorrando abundante das duas feridas, não me permitia distinguir se aquilo era realmente um riso como o dos outros. Porém, depois de alguns momentos de comparação, eu vi perfeitamente que meu riso não se assemelhava ao riso dos humanos, ou seja, que eu não ria.”

Então eras tu, ó famigerado Maldoror! Só podia, só podia… Acho melhor fazermos de conta que não sabemos de nada. Êta penga!

5 Respostas to “Maldoror Rindo”

  1. Genial, Mari! Grande achado!

    =D

  2. maldoror is dead dead dead dead dead

  3. Nossa! Déja-Vü!!!

  4. bom achado mesmo

    o coringa roubou o filme. normal! esses filmes de heróis têm sempre o roteiro feito para os vilões

  5. matando haikai
    o fodido do noah
    sonha maldoror

    btw, ZED is dead

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: