Big Gay Heart

Em geral eu dou graças a Zeus por não ser mais uma jovem. Não sinto a menor saudade da confusão mental, da ansiedade que mata, da insegurança, loucura, dos hormônios descontrolados, todas estas merdas. Mas tem uma coisa que eu sinto falta. Me dei conta disso enquanto vasculhava o site do Roskilde (estava trabalhando, antes que seja acusada de não deixar a chama morrer): meu amigo Mikael.

*Pausa pro Moj. assumir que também sente falta. Hshshshs*

Mikael foi meu Messias de diversas formas. Quando nos conhecemos eu tinha 18 anos e estava no auge do meu horror particular. Ele foi, com certeza, uma das pessoas mais doces, sinceras, gentis, JOVENS, INDIES e nórdicas que conheci. Convivemos por umas duas semanas, somente, mas seguimos mantendo correspondência por 4 anos, até que um bug do hotmail e 5 mudanças de endereço cortaram a comunicação.

Juntos fomos expulsos de lojas, vimos shows de música com instrumentos inusitados, rimos e comemos comida apimentada, entre outras coisas. E nas cartas dividimos todos os nossos momentos importantes até aquela data.

No último mail que ele mandou (no meio da conversa fizemos um upgrade: de cartas e postais para emails. ele nem era um cara muito tecnológico) ele falava que estava fazendo uma turnê com uma banda cover de ELVIS. Mikael era ÚNICO, acredite.

No dia seguinte ao do site do Roskilde estava arrumando minha coleção de postais e achei o endereço dos pais dele em um cartão que não mandei. Ele não mora mais lá, mas pensei em escrever pra ver se conseguia achar o dito. Desde então admito que sofro de ansiedade, tenho medo de descobrir que ele virou um palha ou morreu.

As cartas dele eram um primor, sempre começavam sóbrias e lineares e se transformavam em longos relatos non sense emaconhados. Prendiam o leitor de tal forma que, depois de um tempo, Moj. esperava por elas junto comigo. Hahahaha.

Enfim, não vou entrar em longos relatos sobre tudo que aprendi com Mikael. Nem vou dizer quantas vezes cogitei como ele anda. Só vou dizer que, por Jesusa, eu sinto muito falta de ter um amigo como ele. Pode parecer doentio, mas juro que não era.

Durante muito tempo Mikael quis se mudar pro Brasil. Pelos meus relatos ele acreditava que este fosse um país legal. Ele queria abrir seu próprio estúdio de gravação, ou no Brasil ou na Holanda. Maconheiro maldito. Hahahaha. Eu sempre tentei fazer ele entender que o fato de a cachaça do João ser um 1 real e o Xis da Lancheria ser uns 4, na época, não era prova de que aqui não havia ley ou fome. Pelo contrário.

Agora ele tem uns 32 anos. Minha esperanças se concentram em desejar que ele não tenha virado um crackhead nem um equivalente dos fãs de Barão Vermelho. Hahahahaha.

Mikael odiava Lemonheads e sempre ironizava meu gosto FEMININO pra música, mesmo assim uma música deles até hoje me lembra ele. Na época eu disse que lembrava dele ouvindo ela e ele disse que era doce, apesar de preferir ser associado com músicas melhores. Hahahaha. Grande cara.

Reminder: ( DON’T BE SO TITANIC)

Anúncios

4 Respostas to “Big Gay Heart”

  1. MIKAEL, APOTEOSE DA MACONHA HUMANA

  2. Eu perdi o contato com um amigo do Kwait que morava nos Eua e que eu conheci na época da effnet do irc

    Porra de sentimentos.

  3. HAHAHAHAHAHAHHAA
    adoro entreter as pessoas com meus sentimentos verdadeiros
    os cinco que tenho
    hahahahahahah

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: