Introvertidos do mundo, uni-vos (a distância)

Tirei dez dias de férias e é como se não tivesse feito isso, tendo em vista que passei absolutamente TODOS OS DEZ DIAS ocupada com coisas ziles de vezes mais boring que trabalhar. Quem me conhece sabe o quanto eu prezo não estar ocupada. Todos os dias, durante pelo menos meia hora, eu curto ficar sozinha e em silêncio, sem fazer absolutamente nada. Nada mesmo, nem ler, nem ouvir, nem ver, nem saborear, nem tocar. Ok, tocando as gatas, quase sempre. Pensando, as vezes.

É o tempo da introverão, de recarregar a capacidade social, de ser um cliché astrológico. Introvertidos tem destas coisas.

Eu conheço um cara que diz que não confia em quem aperta sua mão sem olhar nos olhos, ele diz que isso demonstra falta de caráter. Introvertidos são, desde sempre, confundidos com pessoas de caráter dúbio. Não posso falar por todos, só pelos que conheço, e afirmo que não o são.

Extrovertidos costumam ser mais cansativos e incapazes de se envolver am atividades que não envolvem respaldo humano/social. Nem sempre são, claro, mas introvertidos também tem o direito de expalhar boatos por aí. Hshshshs.

A necessidade de reconhecimento externo é uma coisa de extrovertido. Introvertidos buscam coisas menos explícitas. E isso nem sempre é bem visto em sociedade. Melancolia, autismo, falta de caráter, falta de comprometimento, incapacidades de forma geral, em especial as relacionadas com o MUNDO tátil e profissional, são atribuídas e, afirmo, deveriamos rever nossos conceitos. Enquanto um introvertido está pensando formas, aprendendo, criando modos e executando, um extrovertido está dizendo como faz tudo isso e esperando que sobre tempo para, de fato, fazer. Hehehehe. Boatos+1. Hshshshs.

Eu aprendi muito cedo que era diferente dos extrovertidos por um simples motivo: minha família faz teatro. Quando eu era pequena, ter que dizer merda em lugar de boa estréia me causava rubores faciais (as ironias do destino). Rubor facial é a pior coisa que pode acontecer para um introvertido, pois todos notam a introversão e, como bons sanguinários sociais, começam a arfar coisas de sanguinários sociais. Mas o pior eram os camarins, onde todos super lidavam bem com a externalização de sua intimidade (e por externalização de sua intimidade quero dizer todo mundo tirava a roupa na frente de todo mundo).

Além disso, as pessoas que fazem teatro são o melhor e o pior tipo de conheço. As boas, que são o melhor tipo, são assim pq além de reunirem quantidade invejável de conhecimento, ainda convivem com seu conhecimento de forma que pouca gente convive, como algo natural. Um literato tem muita tendência a ser um chato do caralho pq vive com os livros e isso é uma relação quase benta. Mas um ator, diretor, ou respectivos femininos (mais os-as técnicos-as, como cenógrafo, figurinista. Ou o pessoal da dança, enfim) são obrigados a profanar constantemente esta relação benta pq nisto se constitui seu ofício, arte com vida. Não como cinema, tampouco. Teatro (e afins que envolvem apresentações ao vivo) é, e não consigo pensar em maneira melhor de dizer, dionisismo. Tem uma coisa selvagem e única que as outras artes as vezes esquecem e sistematizam e somatizam e apolinizam.

Os piores tipos são aqueles que acham que, por estarem tão comprometidos com sua arte, são o próprio deus. Todos os artistas tem seus assuntinhos de ego, mas os do teatro (e da dança, vá lá), quando tem, tem seriamente.

Por outro lado, ser introvertida em um ambiente assim me fez ver a importância de me relacionar com o mundo exterior, também.

Além disso, me fez perceber que só um introvertido é capaz de conhecer as pessoas (em especial as extrovertidas) de forma profunda, sem precisar conversar com elas, o que é bom com os chatos excessivos, mas ruim com as pessoas legais. Mas, ei, não precisamos nos privar, podemos escolher.

Como boa introvertida iniciei este ano extremamente apolínea e esta foi minha resolução de ano novo: tentar reconciliar os lados.

Eu sei que este post, além de gigante e pessoal, soa deveras bipolar. Mas, prometo, não citarei “Mente Inquieta”. Hshshshs.

Beijos e bem-vindos ao primeiro dia útil desta semana. Aleluia. Como boa introvertida, meu trabalho é uma parte muito relevante da minha vida, sinto falta. Hshshshs. Sorry se o digníssimo leitor esperava algo mais LIVIN’ LA VIDA LOCA. Sugiro um fotolog, neste caso. *sensação de boquinha mode on*

Anúncios

5 Respostas to “Introvertidos do mundo, uni-vos (a distância)”

  1. Extrovertidos costumam ser mais cansativos e incapazes de se envolver am atividades que não envolvem respaldo humano/social. Nem sempre são, claro, mas introvertidos também tem o direito de expalhar boatos por aí.

    espero que eu, por certo A PESSOA MAIS EXTROVERTIDA QUE TU CONHECE (hehehehe), esteja no nem sempre são… hehehehe

    =*

    gostei te estar linckada aí do ladinho!

  2. ta no top 10 certo (e no nem sempre, também. hahahahaha)
    :*

  3. e nem consumi aditivos ilicitos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: